domingo, 1 de setembro de 2013

Sonetinho apaixonado

O que é que a paixão não faz
Com um coração solitário e quente...
Faz do arisco, demente
Que dessa paixão se refaz.

É pela sede do tesouro
Que desbrava o pobre pirata
Compondo, em seu navegar, uma sonata
Que jura brotar do ouro.

Como não se apaixonar?
Se a vida impõe
A dura missão

Quero me realizar
Esse é o pirata que compõe

O sonetinho da paixão.

Murillo Cesar.

Um comentário: